slider

I Encontro Farmale: Uma conversa sobre as Doenças Inflamatórias Intestinais com a Dra Giovana Zibetti
Keep fighting!
III Encontro Farmale: Ostomia e Doenças Inflamatórias Intestinais
I will beat IBD
Ali Jawad, paratleta do halterofilismo com doença de Crohn: Você é uma inspiração para todos nós!
II Encontro Farmale - Diagnóstico das Doenças Inflamatórias Intestinais: Investigação Endoscópica Palestrante: Dr Flavio Abby
Compartilhe conosco sua história

1º de Outubro é o Dia do Idoso no Brasil

O Dia do Idoso é comemorado no Brasil em 1º de outubro. Essa data faz referência ao dia da aprovação do Estatuto do Idoso, em 2003.

No 1º dia do mês de outubro celebra-se o Dia do Idoso no Brasil. Até 2006, o Dia do Idoso era comemorado no dia 27 de setembro. Isso porque, em 1999, a Comissão pela Educação, do Senado Federal, havia instituído tal data para a reflexão sobre a situação do idoso na sociedade, ou seja, a realidade do idoso em questões ligadas à saúde, convívio familiar, abandono, sexualidade, aposentadoria etc.

Fonte: Minsitério da Saúde
No dia 1º de outubro de 2003, porém, foi aprovada a Lei nº 10.741, que tornou vigente o Estatuto do Idoso. Pelo fato de o Estatuto ter sido instituído em 1º de outubro, em 2006 foi criada uma outra lei (a Lei nº 11.433, de 28 de Dezembro de 2006) para transferir o Dia do Idoso para 1º de outubro. Vale salientar que desde 1994, com a Lei nº 8.842, o Estado brasileiro já havia inserido a figura do idoso no âmbito da política nacional, dado que essa lei criava o Conselho Nacional do Idoso.

O fato é que, com a criação do Estatuto do Idoso, em 2003, o Brasil começou a incorporar à sua jurisprudência resoluções de organizações internacionais, como a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização Mundial da Saúde (OMS). Sabe-se que, em 1982, a ONU elaborou, em Viena, na Áustria, a primeira Assembleia Mundial sobre o Envelhecimento. Dessa Assembleia, foi elaborado um Plano de Ação Internacional sobre o Envelhecimento que tinha 62 pontos, os quais passaram a orientar as reflexões, legislações e ações posteriores a respeito do idoso.https://t.dynad.net/pc/?dc=5550001577;ord=1475355512038

É sabido, também, que, na Assembleia Geral de 1991, a ONU aprovou aResolução 46/91, que trata dos direitos dos idosos. Os princípios dessa resolução norteiam as discussões contemporâneas sobre a situação do idoso. Entre esses princípios, estão os da “Autorrealização” e da “dignidade”, cujos pontos são:


Autorrealização:

  • Aproveitar as oportunidades para o total desenvolvimento das suas potencialidades;
  • Ter acesso aos recursos educacionais, culturais, espirituais e de lazer da sociedade;


Dignidade:

  • Poder viver com dignidade e segurança, sem ser objeto de exploração e maus-tratos físico ou mentais;
  • Ser tratado com justiça, independentemente da idade, sexo, raça, etnia, deficiências, condições econômicas ou outros fatores.

Além desses princípios, a ONU ainda deu destaque às questões da assistênciaaos idosos e de sua integração e participação na sociedade, bem como daindependência que lhes é inerente e que deve ser-lhes garantida em direitos como: oportunidade de trabalho, lazer, determinar em que momento deve afastar-se do mercado de trabalho, poder viver em ambientes seguros etc. O dia 1º de outubro, portanto, é reservado para pensar sobre todas essas questões fundamentais a respeito do idoso.

Fonte: Brasil Escola 

Ministério da Saúde e UNA-SUS lançam curso de Atenção à Pessoa Idosa


A Secretaria Executiva, da Universidade Aberta do SUS (SE/UNA-SUS), e a Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa (Cosapi/Dapes/SAS/MS), do Ministério da Saúde, lançam no dia 19 de julho/16 o curso de Atenção Integral à Saúde da Pessoa Idosa. O objetivo é capacitar os profissionais de nível superior para o atendimento integral à população com 60 anos ou mais.

O curso abordará questões clínicas e sociais, distribuídas em cinco unidades: Envelhecimento Populacional, Ações Estratégicas, Avaliação Multidimensional e Condições Clínicas e Trabalho em Equipe.

Para a coordenadora de Saúde da Pessoa Idosa da Cosapi, Cristina Hoffmann, o curso é de extrema importância. 

“Para atender as necessidades da população idosa se faz necessário investir na qualificação do cuidado ofertado no SUS, por meio de outras ações, da capacitação e atualização dos profissionais de saúde”, afirma Cristina.

Promoção do envelhecimento saudável - De acordo com o IBGE, a população com 60 ou mais representa 13,7% dos brasileiros. Até 2050, a previsão é de que esse número suba para 1/3 da população. Por isso, é fundamental que os profissionais de saúde estejam preparados para a promoção do envelhecimento saudável.

Essa inversão da pirâmide etária nacional, chamada de transição demográfica, traz consequências diretas ao sistema de saúde. 

“Com a população envelhecendo, é necessário desenvolver novas estratégias de promoção de saúde, prevenção de doenças, diagnóstico, tratamento e reabilitação”, esclarece o consultor da SE/UNA-SUS, Paulo Coury.

O novo perfil da população faz com que a atenção se volte para as doenças crônico-degenerativas em adultos e, nas próximas décadas, estará cada vez mais focada nas sequelas destas doenças em idosos. As diretrizes da Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa, do Ministério da Saúde, vão além das condições clínicas. Elas preconizam o cuidado integral da pessoa, promovendo ações direcionadas à manutenção da qualidade de vida individual e coletiva e a garantia da autonomia e independência do idoso.

Para tanto, é preciso entender as diferenças de cuidado entre os idosos independentes e vulneráveis, traçar um plano de atendimento para cada grupo, conhecer e usar a rede de apoio disponível, como Academias de Saúde e Melhor em Casa. 

“Esse trabalho só é possível com a implantação de uma avaliação multidimensional, onde aspectos clínicos e psicossociais são igualmente importantes. O foco no indivíduo em sua integralidade representa uma resposta importante ao envelhecimento populacional do Brasil”, ressalta Coury.
Para Hoffmann, além da sensibilização para as questões que envolvem o envelhecimento, “os profissionais devem ter uma escuta qualificada, e as suas ações voltadas para o cuidado continuado, pautado no respeito e garantia de direitos, buscando contribuir para a manutenção da autonomia e independência dos idosos”, diz.


Vídeo publicado em 30 de set de 2016 no canal do Ministério da Saúde.

O Ministério da Saúde tem programas que atendem a população idosa como o Academias da Saúde, o Melhor em Casa, além de vacinação e entrega gratuita de medicamentos . Para saber mais acesse saude.gov.br

2 comentários:

Andreza Ramos disse...

Realmente a saúde mental dos idosos está totalmente ligada à física, descobri recentemente que minha vó estava ficando depressiva, pois não queria ficar dependendo de nós.http://www.valordeplanosdesaude.com.br/planos-de-saude/plano-de-saude-para-idosos/

Alessandra de Souza disse...

Andreza, espero que tudo fique bem.