slider

I Encontro Farmale: Uma conversa sobre as Doenças Inflamatórias Intestinais com a Dra Giovana Zibetti
Keep fighting!
III Encontro Farmale: Ostomia e Doenças Inflamatórias Intestinais
I will beat IBD
Ali Jawad, paratleta do halterofilismo com doença de Crohn: Você é uma inspiração para todos nós!
II Encontro Farmale - Diagnóstico das Doenças Inflamatórias Intestinais: Investigação Endoscópica Palestrante: Dr Flavio Abby
Compartilhe conosco sua história

Doença inflamatória intestinal: vedolizumab com perfil de segurança a longo prazo

A Takeda apresentou um estudo prospectivo sobre o uso de vedolizumab a longo prazo em doentes adultos com retocolite ulcerativa (RCU) e doença de Crohn (DC), no 12.º Congresso da European Crohn’s and Colitis Organisation (ECCO), que aconteceu em Barcelona, entre os dias 15 e 18 de fevereiro.

Os dados apresentados a partir de duas análises interinas de segurança e efetividade a cinco anos em doentes com RCU e DC ativas moderada a grave, indicaram que o tratamento a longo prazo com vedolizumab, em doentes analisados, estava associado a uma resposta clínica a longo prazo e remissão, além da melhoria da qualidade de vida relacionada com a saúde (HRQL) dos doentes num período de cinco anos.
“Estes resultados sublinham o consistente perfil de segurança e a eficácia do vedolizumab como opção de tratamento a longo prazo para adultos com RCU e DC ativas moderada a grave”, afirma a Prof.ª Doutora Severine Vermeire, do Hospital Universitário de Leuven, na Bélgica. “É encorajador que os dados continuem a mostrar o benéfico potencial do uso do vedolizumab para pessoas afetadas com uma destas duas doenças crônicas”, conclui.

Dados do pós-hoc do ensaio clínico GEMINI I, também apresentados no Congresso, evidenciam um perfil de benefício/risco favorável de vedolizumab como opção de tratamento para manter a remissão sustentada em doentes adultos com retocolite ulcerativa.

O Congresso foi também palco de seis apresentações orais e 15 posters, incluindo um relatório de vigilância pós-comercialização e de dados de segurança de vida real, que confirmam o perfil de segurança a longo prazo desta terapêutica.

Fonte: News Farma

6 comentários:

Unknown disse...

Oi Alessandra! Sabe se ele já está na lista do SUS de alto custo?

Alessandra de Souza disse...

Sim, já está incorporado, você pode ler mais sobre o assunto nesse link: http://www.farmale.com.br/2017/01/certolizumab-pegol-sera-distribuido-pelo-sus-doenca-de-crohn.html Um abraço!

Anônimo disse...

Boa noite Alessandra! O Vedolizumab infelizmente ainda não é comercializado no Brasil. O link acima é sobre o Certolizumabe pegol, um anti-TNF alfa. O vedolizumabe (Entyvio) é um anti-integrina. Obrigado pela sua matéria, muito esclarecedora.

wellington Freitas disse...

Para colite me parece que o medicamento indicado é vedolizumab.Ele também já está na lista do Sus de medicamento de alto custo ?

Alessandra de Souza disse...

Opa! Verdade! Troquei as bolas! Digo os biológicos! Somente o Certolizumabe foi incorporado recentemente para doença de Crohn. Desculpe a confusão! =) Mas alguns pacientes conseguem via judicialização o vedolizumabe.

Alessandra de Souza disse...

Sim, ele é indicado para retocolite ulcerativa, mas infelizmente não está no PCDT para esta doença, ou seja, não está disponível pelo SUS. O PCDT para RCU não contempla biológicos, pois ele nunca foi atualizado desde 2002! Você pode ler aqui: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2014/abril/02/pcdt-retocolite-ulcerativa-livro-2002.pdf