Recomendações alimentares devem ser individualizadas

A doença de Crohn e a retocolite ulcerativa pertencem a um grupo de condições conhecidas como doenças inflamatórias intestinais (DII).

Esses distúrbios causam inflamação crônica no Trato Gastrintestinal (TGI), na porção do intestino onde ocorre a digestão e a absorção de nutrientes. A inflamação é a resposta do organismo a um dano no tecido. Normalmente, a inflamação ajuda a proteger o organismo de germes nocivos, células danificadas ou irritantes, mas na DII o sistema imunológico reage de forma inadequada, levando à inflamação, que prejudica o funcionamento correto dos órgãos afetados. A inflamação contínua provoca sintomas, como dor abdominal e cólica, diarreia, sangramento retal, perda de peso e fadiga.

Não há dieta única

Nem plano de alimentação para todos os indivíduos com DII, por isso as recomendações alimentares devem ser individualizadas.

No entanto, existem alguns princípios e diretrizes básicos para ajudar você a decidir como e o que comer, especialmente durante as crises. As pessoas com DII devem manter uma dieta diversificada e rica em nutrientes.

Ao ter sintomas, estas orientações podem ajudar:

  • Comer pequenas porções nas refeições
  • Fazer refeições mais frequentes
  • Comer em ambiente tranquilo
  • Evitar alimentos desencadeantes
  • Limitar alimentos com fibras insolúveis (isto é, sementes, grãos, vegetais de folhas verdes, frutas laxativas e farelo de trigo)
  • Reduzir a quantidade de alimentos gordurosos ou fritos

É importante lembrar que todos os pacientes com DII têm diferentes intolerâncias alimentares. Um pode ser sensível a alimentos picantes, enquanto outro pode ter sensibilidade à pipoca.

Fonte: ABCD

Siga nas redes sociais:
error

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui