O Ballet adulto tanto pode ser praticado por aqueles que estão retornando depois de anos afastados, assim como  por iniciantes, e quem inicia, percebe em poucos meses, mudanças no corpo, como uma postura adequada, flexibilidade,  musculatura mais firme. Os benefícios são diversos porque o Ballet é uma atividade que trabalha todo o corpo. A mente também não fica de fora, trabalhando a concentração, a  memória, o aguçamento da sensibilidade musical e também o enriquecimento cultural. A auto-estima é reforçada com um sentimento de superação e conquista!

Iniciei o Ballet adulto em fevereiro de 2015 e encontrei um lugar bacana próximo à minha casa e o principal, com uma Professora sensacional na arte de ensinar. Fiz uma entrevista com essa Professora incrível, Cristina Veith, para que ela possa, quem sabe, te incentivar como sempre faz com suas alunas, à praticar essa atividade tão completa para nosso corpo e mente.

Vamos lá? Sinto que você vai jogar as dúvidas e medos para um canto e deixar o Ballet te encantar e desafiar a fazer mais, a chegar mais longe e se surpreender com o bem que essa atividade pode fazer por você.

Farmale: Quem nunca fez nenhum tipo de dança pode fazer Ballet?

Cristina Veith: Pode sim. O importante é procurar uma escola ou academia que ofereçam o Ballet para iniciantes. No Ballet Clássico encontramos os princípios básicos de todas as outras modalidades de dança.
Farmale: E para aqueles que nunca fizeram atividade física?

Cristina Veith: Também não existe empecilho nenhum. Ressaltando que o importante é começar com turmas iniciantes e procurar um Médico para uma avaliação física geral. Essa avaliação, aliás, é muito  importante para qualquer atividade física.

Farmale: Qual a maior dificuldade para iniciar o Ballet Adulto?

Cristina Veith: Em primeiro lugar o MITO de que só pode dançar o Ballet quem começa quando criança. Depois vem a cobrança com um corpo perfeito e magro. E por último a falta de escolas que ofereçam realmente a aula de Ballet para adultos.

Farmale: Precisa ser flexível para iniciar?

Cristina Veith: A flexibilidade é importante não só para o Ballet, digo hoje que é qualidade de vida, mas a flexibilidade vem junto com a prática das aulas. É um ganho diário em cada aula. Aos poucos, respeitando os limites a (o) aluna (o) vai ganhando amplitude nos movimentos e com isso a flexibilidade.

Farmale: Já começa com sapatilhas de ponta?
Cristina Veith: De maneira alguma!!! Existe todo um trabalho de fortalecimento e preparo durante as aulas para fortalecer a muscular, para se ter um tornozelo, um pé fortalecido, evitando lesões. Além de muitas aulas onde a (o) aluna (o) vai ganhando consciência corporal para trabalhar e se exercitar de maneira adequada. Iniciar o Ballet já na sapatilha de ponta é um erro que pode acarretar consequências sérias .

Farmale: É uma atividade que emagrece?

Cristina Veith: O Ballet não é uma atividade específica para emagrecer, mas acredito que a (o) aluna (o) quando começa a fazer aula se sente mais motivada e mais feliz. É uma atividade física prazerosa que com certeza ajuda nos processos de emagrecimento


Farmale: Quais os itens obrigatórios para iniciar o Ballet? Tem uniforme?
Cristina Veith: O Ballet também é uma atividade disciplinadora. O uniforme faz parte sim. A aluna deverá ter um collant bem confortável, meia calça de cor clara (só assim a professora poderá ver a musculatura e linhas de perna) e sapatilha de preferência da cor da meia. Saias, shorts, polainas podem ser usados desde que não tirem a visão do professor do que realmente importa, que é o trabalho muscular. Cabelos sempre bem presos com um coque e evitar brincos, pulseiras e colares muito grandes.


Farmale: Qual a frequência ideal de aulas?
Cristina Veith: No mínimo duas vezes por semana. Eu particularmente aconselho minhas alunas a terem três aulas semanalmente.


Farmale: Quais conselhos para superar o medo de iniciar?
Cristina Veith: Esquecer os Mitos. Meu conselho é procurar uma escola onde tenha o Ballet específico para adultos, assistir uma aula, conversar e tirar dúvidas com a professora. O Ballet Adulto não tem a intenção de formar bailarinos profissionais, mas pode e deve oferecer uma aula consciente e muito prazerosa. Cabe ao professor através das aulas  fazer com que a aluna se sinta e seja uma bailarina.

Farmale: O que você notou de mais positivo nas suas alunas com a sua experiência ministrando aulas de Ballet adulto?
Cristina Veith: Muitos pontos positivos!

  • O resgate do sonho de infância
  • Eleva a auto estima
  • Melhora da postura, do condicionamento físico/muscular
  • A paixão que elas descobrem ao dançar ao som de uma música clássica
  • Novas amizades
  • Enfim posso dizer com toda certeza que não existe nada mais gratificante que ver nos olhos das alunas, o brilho de satisfação e realização quando se vêem bailarinas.

A Professora Cristina Veith Camargo iniciou os estudos de Ballet Clássico aos 8 anos. Ao longo da carreira como Bailarina  dançou com grupos profissionais e semi-profissionais participando de diversos concursos de Dança entre os quais:
ENDA, FESTIVAL DE DANÇA DE JOINVILLE, FESTIVAL DO TRIANGULO MINEIRO.

Formada em Educação Física  pela UFSCAR descobriu na arte de ensinar uma maneira de estar sempre ligada ao Ballet Clássico.

Atualmente ministra aulas para crianças em escolas de Educação Infantil e também para Adultos na Up Dance Studio onde é professora de Ballet Clássico e Flexibilidade.

Up Dance Studio
Unidade Méier – Rua Dias da Cruz, 250/3º andar
Unidade Centro – Rua Uruguaiana, 12/3º andar
Unidade Cachambi – Rua Cachambi, 335/2º andar
Telefones: 21 31653065 ou 21 81658383 (Tim)

 

Essa sou eu me realizando nas aulas de Ballet e Flexibilidade com a Professora Cristina Veith:

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui