Ainda não foi determinado se é possível haver transmissão do vírus pela secreção conjuntival

O coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2, sigla do inglês Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2), o vírus que causa a Covid-19 (sigla do inglês, Coronavirus Disease 2019), pode ser encontrado nas lágrimas dos pacientes infectados, segundo um relatório de pesquisadores da China. No entanto, ainda não foi determinado se é possível haver transmissão do vírus pela secreção conjuntival, disseram os Drs. Liang Liang e Wu Ping e do Hospital Popular Central Yichang em Hubei, que suportou o impacto da epidemia em seu epicentro.

De acordo com o artigo deles, publicado no periódico Acta Ophthalmologica, 37 pacientes com pneumonia por Covid-19 fizeram o teste de reação em cadeia da polimerase da transcriptase reversa (RT-PCR, do inglês Reverse Transcriptase Polymerase Chain Reaction) para procurar evidências do vírus na lágrima; 12 destes pacientes tinham quadro grave e os outros, quadro leve da Covid-19. Três pacientes também tinham congestão conjuntival e outros achados inflamatórios oftálmicos.
Um dos 37 pacientes tinha evidências do vírus na secreção conjuntival e este paciente não tinha conjuntivite. Os outros 36 pacientes foram negativos. “A carga viral de SARS-CoV-2 da secreção do saco conjuntival dos pacientes é relativamente baixa, e estimamos que seja diretamente proporcional à gravidade da doença”, escreveram os Drs. Liang e Wu.

No e-mail enviado para a Reuters Health, Dr. Liang disse que é importante que os oftalmologistas tomem ciência que a secreção conjuntival do paciente pode conter vírus.
“Ao examinar os olhos do paciente, o médico deve usar óculos de proteção e luvas, e lavar as mãos após o exame”. Ao atender os pacientes com doenças oculares, “é melhor usar equipamentos oftalmológicos para o exame e tentar evitar a detecção manual”, disse o Dr. Liang.

Os autores de um artigo relacionado no periódico Acta Ophthalmologica, também da China, levantaram a hipótese que o vírus possa entrar na lágrima através de gotículas, que podem passar pelo ducto nasolacrimal e então para o trato respiratório.
“Combinando todas estas informações, podemos estar certos que, ao entrar em contato com casos confirmados ou suspeitos de Covid-19, os profissionais de saúde devem usar óculos de proteção. Isto deve se tornar uma das medidas essenciais para a prevenção da disseminação do SARS-CoV-2”, escreveram Dr. Zongming Song e colaboradores do Instituto Oftalmológico Henan de Zhengzhou.

Em um artigo no Graefe’s Archives for Clinical Experimental Ophthalmology, médicos de Hong Kong oferecem orientação sobre a intensificação das medidas de controle de infecção em oftalmologia durante o surto do coronavírus, baseados na sua experiência na linha da frente da epidemia. (https://bit.ly/396XQpW)

Um artigo publicado no mês passado no periódico The Lancet também levantou questões sobre a possibilidade de a superfície ocular poder ser um potencial alvo para a invasão pelo SARS-CoV-2. (https://bit.ly/2JaxetK)

American Academy of Ophthalmology (AAO) tem aconselhado os oftalmologistas a suspender as consultas de rotina e durante o surto da Covid-19 só prestar atendimento de emergência, com as precauções apropriadas. (https://bit.ly/3bhNYv1)

Fonte: MEDSCAPE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui