Tudo começou com uma simples virose. Virose que ficou algumas semanas. Passou o tempo aumentou a diarreia com sangue fui ao proctologista me deu o diagnóstico de hemorróidas. Fiz o tratamento durante meses, nada melhorava pelo contrário só aumentava. Ia ao trabalho todos os dias escondendo das pessoas que estava mal, escondi por meses. Foi um belo dia de movimento no trabalho eu passando muito mal sem esperança pois já tinha ido há vários médicos nada dava certo. Fui ao banheiro perdendo muito sangue demorei no banheiro como era de costume todos falavam que eu morcegava no banheiro mal sabia eles o que eu estava passando. Quando sai do banheiro a gerente entra no banheiro, me chama e diz: Izabel o que está acontecendo?! Quero ti ajudar, mas preciso sabe o que está acontecendo. Chorando, com vergonha e até medo contei a verdade. Na mesma hora a gerente me leva até a upa, chegando lá Deus enviou uma ótima médica, pediu vários exames, rápido me colocou na medicação e fez minha internação e pediu para me transferir para um hospital. Fiquei 3 dias e 2 noites na upa em cadeira pois não tinha vaga. Até que saiu a vaga para hospital das clínicas. Minha mãe nervosa. Minha filha em casa sendo cuidada por familiares, eu estava no começo de namoro. Eu me perguntava será que vou morrer?! Fiquei internada 1 mês e 15 dias fazendo vários tipos de exames, não tinha força para nada, quem ia me visitar só me colocava mas para baixou pois eu emagreci 16 kg em 1 mês. Todos pensavam que era câncer e eu não iria resistir. Perdi tanto sangue que precisei tomar bolsas de sangue. Depois de muito sofrimento internada molhando a boca com algodão em dias de dieta zero descobriram a tal DOENÇA DE CRONH. CRONH??? O que é isso?? Eu nunca tinha ouvido falar sobre isso! Aí vem as dúvidas, perguntas algumas sem resposta. Eu pesquisava dia e noite sobre a doença fica louca.
 
Comecei o tratamento ainda internada tive alta fui para casa matar a saudade da filha que só falava por telefone. Meses se passaram tomando sufazalassina e noripurum para anemia (tenho marcas roxas até hoje das injeções) entre outros remédios entrei em remissão então fiquei feliz e pensei estou curada. 8 meses se passaram em remissão quando voltou com tudo o cronh. Crise horrível com tudo que tem direito deste então estou em crise há 3 anos imagine 3 anos lutando p ficar boa e só aliviar não entra em remissão. Fui em vários médicos nestes 3 anos de luta tomei muito corticoides a dose maior foi 60 mg 😢 engordei 27 kg, tomei muitas azatioprina, já tomei até 4 doses de humira por mês hoje tomo 2 doses por mês. Para melhorar PPD positivo estou terminando o tratamento para prevenção da tuberculose. Imunidade baixa surgiu a famosa sinusite, mas uma dor, mas uma coisa para ter crise. Cabelo caiu muito com muitas medicações sorte a minha que tenho muito cabelo não fez tanta diferença rsrs só rindo para não chorar. Teve um médico que falou para mim essa doença e hereditária (tenho pessoas na família com outras doenças auto imune) outro médico disse isso é emocional psicológico afetado por traumas (sim tive muitos traumas perdi um primo em acidente de moto era como irmão para mim eu não pude dizer adeus pois estava viajando a trabalho, alguns meses depois casei a família toda avisando não casa ele não e para você fui teimosa e casei grávida no 6 mês de gravidez ele me agrediu quase perdi minha filha por medo fiquei quieta sendo ameaçada dentro de casa apanhei fiquei roxa fui traída mas todo sofrimento chega ao fim coloquei na Maria da penha e me separei. Depois da separação a filha teve febre emocional, mas uma etapa na minha vida tratamento com a filha no psicólogo graça de Deus minha filha ficou bem. Mas passei sim por muitos traumas que podem ter levado a doença). Sempre me perguntava como fui adquirir essa doença?! Porque logo eu na família fui ter essa doença?! Perguntas e dúvidas algumas com respostas outras sem respostas.  Nesse período da minha vida surgiu vários anjos em forma de gente para me ajudar. 
 
Uma cronhpanheira conseguiu um bom médico para mim a onde me trato há 2 anos e 8 meses no Hospital Pedro Hernesto em Vila Isabel Rio de Janeiro. Me enviou meu namorido rsrs (meu segundo casamento e até o fim) meu companheiro de luta um marido incrível que me ajuda, tem muita paciência e me aceita com minhas limitações o meu príncipe meu amorzão (cada dia mais sou apaixonada por ele pois ele me faz muito bem me fez sorrir de novo). Minha filha que foi a força que me fez sair de uma profunda depressão (depressão ao qual tentei até me matar tirar minha vida pois não aguentava mais os sintomas da doença, Deus me livrou) minha filha por ela penso todos os dias para lutar. Meus pais e sogros anjos na minha vida para me abençoar com orações e palavras de sabedoria. Amigos de verdade são os que estão com você nos dias de dores e dias de alegrias perdi vários colegas mas descobri meus grandes amigos. Perdi trabalho mas ganhei uma profissão de dom sou babá cada sorriso de uma criança e uma esperança de um futuro melhor. Hoje posso dizer que amadureci com o cronh sim dou mais valor às coisas simples, não reclamo tanto das coisas, aprendi a agradecer mais. Aprendi a lutar pelo que quero voltei a sonhar. Nada é como era antes mas tenho fé é acredito que se um dia o criador quiser me abençoar com a cura ou através dos remédios tratamento alcançar a remissão será uma vitória na minha história. Já passei por tantas coisas tão nova venho de tantas tempestades para hoje aprender que não somos nada e ninguém. Que devemos nos amar e nos aceitar como somos. Deixa lá ou que as pessoas falam. O importante é cada um tem uma luta e como soldados fortes temos que lutar a cada dia. Eu sou soldado lutando contra Cronh eu vou vencer! 
Eu sou rara!
 
Meu nome é Izabel Nogueira, tenho 28 anos, moro em Teresópolis/RJ, sou Baby Sitter, tenho Doença de Crohn. Meu perfil no Facebook: Izabel Nogueira 
 
 
Conte sua história também! Expressar-se tranquiliza a dor.
Compartilhe a sua história aqui.  Para ler os depoimentos clique aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui