O Dia Mundial da Saúde foi criado em 7 de abril de 1948 pela Assembleia Mundial da Saúde, essa data foi escolhida para coincidir com a data de fundação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Todos os anos são realizadas campanhas para fomentar a consciência sobre algum tema chave relacionado com a saúde mundial.
Em 1946, a Organização Mundial de Saúde aprovou um conceito que visava ampliar a visão do mundo a respeito do que seria estar saudável: “A saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. De acordo com esse conceito, percebemos que a saúde deve ser vista como uma forma de total bem-estar, que é conseguido não só através do tratamento de doenças ou sua prevenção, mas através de qualidade de vida.
Muitas pessoas consideram-se saudáveis quando estão sem nenhuma doença, porém, a falta de enfermidades não significa saúde. Estar saudável requer a análise de um conjunto de fatores, tais como a qualidade de vida e aspectos mentais e físicos.
Você sabe o que é ter qualidade de vida? De acordo com a lei 8.080 de 1990, encontramos a definição de saúde como sendo um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício. Quais são essas condições? A alimentação, a moradia, o saneamento básico, o meio ambiente, o trabalho, a renda, a educação, a atividade física, o transporte, o lazer, o acesso aos bens e serviços essenciais, ou seja, qualidade de vida.
Durante a minha graduação em Farmácia o assunto que mais me atraía era Atenção Farmacêutica, tanto que fez parte do meu trabalho de conclusão de curso (TCC) e claro, direcionada aos portadores de doença de Crohn e retocolite ulcerativa. Para a maioria das pessoas, o Farmacêutico é o profissional do medicamento, mas esse paradígma vem mudando cada vez mais, com o foco não mais voltado para o medicamento e sim para o usuário do medicamento. Sempre acreditei nisso, pois o básico para o Farmacêutico é dominar o assunto medicamento, mas devemos ver o Farmacêutico como o profissional do medicamento que cuida das relações dos pacientes com a terapia farmacológica.  A sua atuação não deve se restringir somente aos indivíduos que ele atende, mas também envolver ações relacionadas ao perfil epidemiológico, promover educação em saúde, atuar em ações sobre saneamento básico, programas de saúde, melhorias de condições de vida da população, entre muitas outras frentes.
Em 2016, o tema da campanha da Organização Mundial da Saúde (OMS) é o Diabetes e a instituição lança seu primeiro relatório global sobre a doença. De acordo com a publicação, desde 1980 o número de pessoas vivendo com diabetes quadriplicou e alcançou os 422 milhões de pessoas (em 2014), especialmente em países em desenvolvimento. O crescimento do número de pessoas com o agravo é acompanhado do aumento de casos de obesidade e sobrepeso.
O objetivo da OMS é chamar a atenção para a doença e para o fato de que ações de promoção da saúde, hábitos alimentares saudáveis e práticas de atividades físicas podem reduzir os fatores de risco de desenvolvimento do diabetes. Por outro lado, a instituição internacional também defende a capacitação e instrumentalização dos governos para atenderem às necessidades de tratamento das pessoas com diabetes, especialmente nos países mais pobres.
Relatório da OMS sore o diabetes (em inglês): http://goo.gl/O5uW81
Seção Diabetes do Portal Fiocruz: http://portal.fiocruz.br/pt-br/diabetes
Você pode acompanhar o blog também pela página no Facebook, Twitter e Instagram:

Página: https://www.facebook.com/FarmaleAchou
Twitter: https://twitter.com/Farmale
Instagram: https://www.instagram.com/farmale

Siga nas redes sociais:
error

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui