O Dia do Médico Gastroenterologista é comemorado no mesmo dia das ações de prevenção e alerta à saúde digestiva. O dia 29 de maio em diversos países tem como proposta sensibilizar a população e os profissionais de saúde para a importância da correta interpretação dos sintomas e o rápido tratamento, além da adoção de um estilo de vida mais saudável, com uma alimentação equilibrada.
 
Dados apresentados no livro “Distúrbios Funcionais do Aparelho Digestivo”, editado pela Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), mostram que é significativa a prevalência das doenças de trato gastrointestinal na população brasileira. No âmbito social, a correta orientação e o rápido acesso ao tratamento, são direitos da população.
 
Dia 29 de maio é o dia mundial da saúde digestiva. Anualmente, a World Gastroenterology Organisation (Organização Mundial de Gastroenterologia – WGO) faz uma campanha de conscientização e em 2017 o tema escolhido foi: “doenças inflamatórias intestinais”, entre as quais se destacam a Doença de Crohn e a Retocolite Ulcerativa.
 
Em todo o mundo, estima-se que 5 milhões de pessoas vivam com a doença de Crohn e a retocolite ulcerativa, doenças que afetam diretamente o sistema digestório, com inflamações no tecido intestinal, resultando em lesões e sangramentos frequentes. No Brasil, ainda não existem estatísticas oficiais sobre as doenças inflamatórias intestinais.
 
Apesar de essas doenças não terem cura, a realização de um diagnóstico precoce e de um tratamento adequado permitem o controle, medicação adequada, reduzem a incidência de complicações e proporcionam uma melhor qualidade de vida aos pacientes, explicam os especialistas.
 
“Temos exames eficazes, procedimentos que permitem a identificação de lesões em estágio inicial, mas as pessoas continuam se automedicando ou dando pouca importância aos sintomas, ao acompanhamento de rotina e exames como a colonoscopia”, explica Marcon Censoni, médico especialista em cirurgia digestiva e laparoscópica e coloproctologia.
 
Os especialistas alertam: pacientes com queixas abdominais recorrentes (em qualquer idade), sangramento nas evacuações, quadros de dores abdominais (tipo cólica) ou diarreia persistente, é preciso procurar um especialista para identificar os exames e procedimentos necessários. E mesmo sem sintomas, a partir dos 40 anos é importante fazer avaliações preventivas com um especialista: 

“Na última década, os hábitos dos brasileiros vêm mudando, há um interesse maior por alergias alimentares e queixas crescentes de doenças do trato digestivo, por isso é necessário insistir na importância da prevenção, das avaliações periódicas e do acesso aos exames como a colonoscopia para identificar lesões precocemente e tratar da maneira mais eficaz”, comenta o Dr Censoni.

Para o Dr Marcon Censoni,é preciso pensar na saúde de todo sistema digestivo: 

“Os números de câncer colorretais vem aumentando de maneira alarmante, temos observado aumento nas doenças inflamatórias, e além disso precisamos pensar na obesidade, na saúde gastrointestinal e nos hábitos e histórico de cada paciente que podem evoluir para doenças mais graves, para cuidar e acompanhar não apenas para evitar mortes, mas para envelhecermos melhor”, argumenta.

Fonte: 

Terra Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui