A Organização Mundial de Gastroenterologia escolheu ‘microbioma intestinal’ como tema da campanha do Dia Mundial da Saúde Digestiva 2020.

A data foi instituída pela Organização Mundial de Gastroenterologia para mobilizar e orientar a população sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce de doenças do aparelho digestivo.

O Dia do Médico Gastroenterologista é comemorado no mesmo dia das ações de prevenção e alerta à saúde digestiva. O dia 29 de maio em diversos países tem como proposta sensibilizar a população e os profissionais de saúde para a importância da correta interpretação dos sintomas e o rápido tratamento, além da adoção de um estilo de vida mais saudável, com uma alimentação equilibrada.

Dados apresentados no livro “Distúrbios Funcionais do Aparelho Digestivo”, editado pela Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), mostram que é significativa a prevalência das doenças de trato gastrointestinal na população brasileira. No âmbito social, a correta orientação e o rápido acesso ao tratamento, são direitos da população.

De acordo com a Organização, 20% da população global sofre algum tipo de problema intestinal e 90% das pessoas não procuram orientação médica, recorrem à automedicação ou não fazem nada para resolver o problema.

A Organização Mundial de Gastroenterologia escolheu ‘microbioma intestinal’ como tema da campanha do Dia Mundial da Saúde Digestiva 2020.

O microbioma ou microbiota intestinal (MI) contém dezenas de trilhões de microorganismos e mais de 1.000 espécies conhecidas de bactérias com importantes funções no corpo humano, provocando um interesse considerável sobre o papel que os microrganismos intestinais podem desempenhar na saúde e na doença.

As principais funções do MI são:

– função antibacteriana: capacidade de impedir a colonização por novas bactérias indesejáveis;

– função imunoestimulante: favorece a maturação do sistema imunológico;

– função metabólica: age na degradação de resíduos que chegam ao cólon (parte central do intestino grosso).

O trato digestório e os órgãos anexos constituem o sistema digestório. O trato digestório é um tubo oco que se estende da cavidade bucal ao ânus, sendo também chamado de canal alimentar ou trato gastrintestinal. As estruturas incluem: boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso, reto e ânus.

Os órgãos digestórios acessórios são os dentes, a língua, as glândulas salivares, o fígado, a vesícula biliar e o pâncreas. Os dentes auxiliam no rompimento físico do alimento e a língua auxilia na mastigação e na deglutição. Os demais, nunca entram em contato direto com o alimento, mas produzem ou armazenam secreções que passam para o tubo digestivo e auxiliam a decomposição química do alimento.

Sintomas mais comuns de doenças do aparelho digestório:

Náuseas, empachamento, azia, retorno do alimento e ou ácido gástrico, diarreia e/ou constipação e dor abdominal. Mas, outros sintomas como tosse seca, dor no peito, sinusite, asma, dor de cabeça, deficit de atenção e lesões na pele, que aparentemente podem indicar outro tipo de doença, também são sintomas de problemas digestivos.

Prevenção:

As doenças dessa região, geralmente, estão relacionadas a alguns hábitos adquiridos ao longo da vida. Alimentação inadequada, sedentarismo, tabagismo, estresse, entre vários outros problemas, são responsáveis por muitos transtornos. Portanto, a prevenção é a melhor maneira de diminuir os índices de complicações na saúde digestiva.

O diagnóstico precoce é a melhor forma para curar e evitar complicações de qualquer doença. Ao sentir qualquer sintoma, o recomendado é procurar um médico imediatamente e evitar a automedicação. Irritações frequentes no estômago, dores de barriga, alterações significativas nas fezes, diarreia e, até mesmo, o mau hálito ou alterações na boca sem motivo aparente, merecem atenção.

Fontes:
Biblioteca Virtual em Saúde
Federação Médica Brasileira

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui