Depois da artrite, os problemas de pele estão em segundo lugar entre as complicações extra intestinais mais comuns da DII

Elas afetam cerca de 5% das pessoas portadoras da Doença Inflamatória Intestinal. Entre os problemas de pele mais comuns causados pela DII estão: eritema nodoso, pioderma gangrenoso, fístulas enterocutâneas, plicomas, fissuras anais, estomatite aftosa (afta).

Problemas de pele pouco comuns na DII

  • Acrodermatite enteropática e vitiligo.
  • Reações à Medicação: em alguns casos um problema de pele não é o resultado da DII, mas de medicação usada em seu tratamento. A Sulfasalazina, por exemplo, pode produzir um tipo de erupção semelhante a alergia, na pele. A reação é atribuída à Sulfa, um componente deste agente.
  • Os esteroides também podem causar problemas de pele quando usados a longo prazo. Entre eles estão incluídos as estrias, afinamento da pele, aumento da acne, estufamento (inchaço) do rosto, inchaço dos tornozelos e um tempo mais longo para cicatrização de feridas.

Pessoas com Doença Inflamatória Intestinal (doença de Crohn ou retocolite ulcerativa) devem ficar atentas aos sinais que o seu corpo dá. No atendimento emergencial nem sempre os profissionais estão treinados, ou habituados com as DII, muito menos com as Manifestações Extarintestinais, então procure falar logo sobre a sua doença de base, se é doença de Crohn ou retocolite ulcerativa, sobre as medicações que você usa, para que o atendimento seja o melhor possível. O médico que te acompanha deve sempre ser informado sobre novos sintomas que você observou. Você também precisa ser responsável pela sua saúde, tenha um diário sobre sintomas, exames, medicações para não esquecer de nenhum detalhe a ser informado ao médico ou outro profissional de saúde. Não se automedique! Você pode piorar o seu estado, mascarar sintomas importantes para o diagnóstico correto.

Vamos conhecer um pouco sobre o Eritema Nodoso

Eritema Nodoso: o nome literalmente significa nódulos vermelhos. Esses nódulos endurecidos e avermelhados, que normalmente aparecem sobre as canelas, tornozelos e, às vezes nos braços, ocorrem na Retocolite Ulcerativa e na Doença de Crohn. O eritema nodoso geralmente aparece juntamente com uma crise da DII, mas ele também pode ocorrer um pouco antes de uma crise. A tendência é que o eritema desapareça quando a doença estiver novamente sob controle.

O eritema nodoso é uma forma de paniculite (inflamação da camada de gordura abaixo da pele) que provoca caroços (nódulos) vermelhos ou roxos sensíveis sob a pele, mais frequentemente na região das canelas, mas ocasionalmente nos braços e em outras áreas.

O eritema nodoso é geralmente causado por uma reação a um medicamento, por uma infecção (bacteriana, fúngica ou viral) ou por outro distúrbio como doença inflamatória intestinal.

Os sintomas típicos incluem febre, dor nas articulações, hematomas e nódulos vermelhos dolorosos característicos nas canelas da pessoa.

O diagnóstico é baseado nos sintomas e pode ser apoiado pelos resultados de radiografia do tórax, exames de sangue e uma biópsia.

As pessoas param de tomar os medicamentos suspeitos, as doenças ou infecções subjacentes são tratadas e a dor é aliviada por repouso em leito, medicamentos anti-inflamatórios não esteroides e, às vezes, a injeção de um corticosteroide.

Pessoas nos seus 20 e 30 anos, principalmente mulheres, estão mais propensas ao distúrbio.

Muitas vezes, o eritema nodoso é um sintoma de alguma outra doença ou é uma reação a um medicamento, mas a causa é desconhecida em até um terço das pessoas afetadas.

As causas mais comuns são:

Outras possíveis causas incluem certas infecções não estreptocócicas, diversos medicamentos (como antibióticos à base de sulfa e contraceptivos orais), gravidez, tuberculosedoença de Behçet e diversos tipos de câncer.

Sintomas

Os nódulos do eritema nodoso são sensíveis e surgem geralmente nas canelas, assemelhando-se a calombos e manchas roxas que, aos poucos, se alteram de uma cor rosada a vermelha ou violeta a castanho-azulada. Febre e dores articulares são comuns.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico
  • Algumas vezes, biópsia

Os nódulos doloridos costumam ser o principal sinal para o médico. Às vezes, um nódulo é retirado e analisado ao microscópio (biópsia) para confirmação do diagnóstico. Outros testes são realizados para detectar possíveis causas e podem incluir uma radiografia do tórax, exames de sangue e testes cutâneos para tuberculose.

Tratamento

  • Elevação das pernas e compressas frias
  • Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) para dor
  • Tratamento dos distúrbios de base

O eritema nodoso quase sempre se soluciona por si só, e os nódulos podem desaparecer em três a seis semanas sem tratamento. Repouso em leito, compressas frias, elevação das pernas e medicamentos anti-inflamatórios não esteroides podem ajudar a aliviar a dor causada pelos nódulos. Pode-se prescrever comprimidos de iodeto de potássio para diminuir a inflamação. Os corticosteroides tomados por via oral são eficazes, mas são administrados somente como último recurso, pois podem piorar uma infecção subjacente, mesmo que ela ainda não tenha sido identificada. Os medicamentos que podem provocar o eritema nodoso são interrompidos e as infecções ou distúrbios subjacentes são tratados. Se a causa da doença for uma infecção estreptocócica, a pessoa precisa tomar antibióticos, como a penicilina ou uma cefalosporina.

Fontes:

Manifestações Dermatológicas. Disponível em: GEDIIB. Acesso em 02/04/2018.

Eritema Nodoso. Disponível em: Manual MSD. Acesso em 02/04/2018.

 Leia mais sobre Manifestações Extraintestinais:

Semana de Conscientização Sobre as Doenças Inflamatórias Intestinais

Manifestações Extraintestinais das Doenças Inflamatórias Intestinais

Visite aqui a página no Facebook e o Instagram Farmale!
Não esqueça de curtir a página para saber de todas as atualizações do blog!
Compartilhe essa informação com alguém que possa estar precisando dela!
O Farmale é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.
Siga nas redes sociais:

2 COMENTÁRIOS

  1. Oi Ale! Quando li “aftas” me atentei ao que estou tendo ultimamente, que não sei se há ligação com DII. Minha gengiva tem inflamado muito, algumas vezes com pus e sangramento ao escovar. Você saberia me dizer se pode haver alguma Co-relação com a doença? Meu médico não soube me dizer.

    • Oi Josiana! Primeiro fale com o médico que cuida da sua DII para que ele faça um encaminhamento seu ao Dentista. Seu médico fará um laudo encaminhando o seu caso ao Dentista que já saberá como proceder. Existe uma relação entre doença periodontal e DII.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui