PRINCÍPIOS BÁSICOS PARA A CONFECÇÃO DOS ESTOMAS INTESTINAIS

Uma colostomia ou ileostomia representa uma anastomose colo-cutânea ou íleo-cutânea. No entanto, não raramente, a construção dos estomas é reservada ao cirurgião menos experiente na equipe cirúrgica ou iniciante na especialidade.

Analogamente ao que ocorre para a anastomose colo-anal ou íleo-anal, os bons resultados funcionais que são obtidos após a confecção de estomas intestinais são resultado de rígida adesão a sólidos princípios técnicos há muito estabelecidos e que se iniciam no período pré-operatório.

Com a exceção de pequenas mas notáveis diferenças, os princípios técnicos gerais para a construção de colostomias e ileostomias são muito similares.

Escolha do local 

Quando se consideram operações que podem incluir a confecção de um estoma ou mesmo para doentes cuja evolução resulte em possibilidade de derivação futura (é possível incluir todos os doentes a serem submetidos a operações colorretais em um desses dois grupos), a realização de incisões medianas deve ser preferida. Evitar incisões paramedianas tem grande importância pois, na medida em que estomas devem ser sempre exteriorizados através do músculo reto abdominal, a presença de cicatriz de incisão paramediana compromete a futura função do estoma devido à dificuldade de aplicação do dispositivo coletor sobre a cicatriz.

A seleção do local do estoma no período pré-operatório tem fundamental importância e deve sempre ser enfatizada sendo possível sua realização mesmo para os doentes a serem operados em situações de emergência quando o local adequado para o estoma pode ser demarcado imediatamente antes da anestesia, na mesa cirúrgica, desde que o doente seja auxiliado a sentar por um breve período de tempo.

Nas ocasiões em que a demarcação pré-operatória não pôde ser realizada vale a regra de que, para doentes próximos ao peso ideal, o estoma deve ser posicionado através do reto abdominal poucos centímetros abaixo da cicatriz umbilical sobre a linha que une esta à espinha ilíaca ântero-superior. Em doentes obesos, a posição do estoma deve ser deslocada alguns centímetros cranialmente a fim de evitar situar o estoma sobre o “avental” constituído pelo excesso de tecido subcutâneo. Nesses doentes, o estoma pode ser posicionado ao nível da cicatriz umbilical ou acima dela. A cicatriz umbilical, pregas de pele, outras cicatrizes e proeminências ósseas devem ser mantidas a pelo menos 5 cm do local do estoma a fim de não prejudicar a aplicação da bolsa coletora.

Obviamente que o local escolhido para sediar o estoma deve ser acessível ao doente sendo a ele possível enxergá-lo a fim de possibilitar o manuseio da derivação com conforto e segurança.

As ileostomias são geralmente posicionadas no quadrante abdominal inferior direito, as colostomias do sigmóide, no inferior esquerdo e as colostomias do trasnverso, no quadrante abdominal superior direito. Procedimento preconizado por alguns, a realização da incisão do estoma antes da incisão de laparotomia, para os casos em que a derivação é certa é uma opção técnica e tem a vantagem de evitar o desvio lateral que sofre o local marcado para a derivação após a incisão abdominal mediana.

Fonte: Colorretal

Visite aqui a página no Facebook e o Instagram Farmale!
Não esqueça de curtir a página para saber de todas as atualizações do blog!
Compartilhe essa informação com alguém que possa estar precisando dela!
O Farmale é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui