Compartilho com vocês excelente texto sobre a conexão cérebro/intestino. Muito tem sido divulgado sobre o assunto e como aqui falamos sobre #doençasinflamatoriasintetinais, acredito que será muito proveitosa a leitura. Compartilhem sua dúvidas nos comentários e também, se você faz algum tipo de terapia, conte sua experiência.

O texto é longo, então vou compartilhando em outros posts.😉. O Medscape conversou com Laurie Keefer, professora-associada ao Departamento de Medicina e #Gastroenterologia da Icahn School of Medicine do Mount Sinai,em Nova York, sobre a conexão entre cérebro e intestino e a influência dela na saúde digestiva. Nós discutimos como o uso da terapia por #hipnose pode ser um tratamento alternativo efetivo para os pacientes, estando resguardada por evidências científicas, e sendo agora oferecida em centros médicos e via telemedicina por todos os Estados Unidos. Líder no desenvolvimento de terapias comportamentais efetivas para desordens gastrointestinais, a extensa pesquisa da Dra. Laurie foca primeiramente na#DoençaDoRefluxoGastroesofágico (#DRGE) e em outros transtornos esofágicos, síndrome do intestino irritável e #doençainflamatóriaintestinal, incluindo#doençadeCrohn e #coliteulcerativa👉Uma via bidirecional👈 Medscape: O que sabemos sobre como a conexão entre mente e vísceras influencia a saúde? Dra. Laurie: A via entre a mente (ou o cérebro) e o intestino é bidirecional. As pessoas muitas vezes se esquecem disso. Existem muitos processos que acontecem sintomaticamente nas vísceras que chegam ao cérebro, e vice-versa. Acredito que a DRGE seja um deles, no qual mudanças na exposição ácida podem ser percebidas pelo cérebro e, portanto, a víscera está essencialmente dizendo ao cérebro que alguma coisa está errada. Ao tratar pacientes com terapias cérebro-víscera, acredito que isso as ajude a saber que enquanto trabalhamos com o cérebro também estamos levando em conta as questões gastrointestinais. “Ao tratar pacientes com terapias cérebro-víscera, acredito que isso as ajude a saber que enquanto trabalhamos com o cérebro também estamos levando em conta as questões gastrointestinais”

Fonte: https://goo.gl/Z585eP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui