Se fosse instituído o exame de proficiência para o curso de Farmácia no Brasil, qual seria o melhor modelo de avaliação de desempenho profissional dos egressos?  

Hoje, concluintes de todos os cursos de graduação, incluindo a Farmácia, são submetidos ao Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que avalia o rendimento dos concluintes em relação aos conteúdos programáticos, habilidades e competências adquiridas em sua formação. Mas será que o Enade consegue de fato cumprir o seu papel? É o que pretende avaliar, pesquisa do Conselho Federal de Farmácia (CFF), em parceria com a Universidade Federal de São João del-Rey (UFSJ). Farmacêuticos de todo o país podem participar, preenchendo o formulário que será encaminhado exclusivamente por meio de newsletter, por e-mail, até 26 de junho.

“A proposta é analisar a relevância da única avaliação de desempenho de concluintes da graduação no país, ouvindo a opinião dos profissionais em atividade no mercado, incluindo aqueles formados a partir de 2004, ano em que a Farmácia foi inserida no exame”, explica Angelita Cristine de Melo, uma das pesquisadoras responsáveis pelo estudo, junto com Fernando Fernandez-Llimós Somoza e Ana Elisa Melo. Por meio da pesquisa, o CFF e a UFSJ pretendem reunir subsídios que permitam sugerir, ao Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira/Ministério da Educação (Inep/MEC), mudanças que contribuam para o aperfeiçoamento do Enade.  

A discussão sobre a qualidade da formação dos farmacêuticos no Brasil nunca esteve tão em pauta no Conselho Federal e Farmácia como nos últimos anos. E, em meio a tantas iniciativas da instituição pela qualidade do ensino de graduação em Farmácia, como a luta pela aprovação das novas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) e o embargo do registro de egressos de cursos EaD, o CFF também está envolvido no debate sobre a instituição do exame de proficiência para egressos dos cursos de Farmácia.

Em 2018, o conselho realizou consulta pública para saber se a categoria apoia ou não uma iniciativa nesse sentido, que demandaria aprovação de um projeto de lei pelo Congresso Nacional. Com base no resultado da consulta pública, que culminou num índice de cerca de 70% de opiniões favoráveis ao exame, o CFF está acompanhando a tramitação de um PL que institui o exame de proficiência para todas as profissões da saúde, em tramitação na Câmara dos Deputados. “A pesquisa em curso também poderá nortear a implantação do Exame Nacional de Proficiência Farmacêutica, caso o projeto de lei seja aprovado”, comenta o presidente do CFF, Walter Jorge João.  

Participe da pesquisa clicando aqui!

Fonte: CFF

Siga nas redes sociais:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui