Apesar da importância e gratuidade do serviço, 21% dos médicos desconhecem a existência dos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE).

Você sabia que as pessoas com doenças crônicas e imunodeprimidas têm tratamento específico quando precisam se vacinar? 

Em 1993, foram criados os Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE), que têm como objetivo facilitar o acesso de pessoas com necessidades específicas de vacinação à prevenção de doenças. Esses locais atendem de forma personalizada e gratuita.

Segundo Dr Juarez Cunha, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), esse pacientes são chamados especiais porque não podem receber imunizantes produzidos com os vírus vivos, como é o caso da febre amarela, por exemplo.

“Os médicos precisam avaliar cada caso e encaminhar a pessoa para o CRIE, que, por sua vez, vai analisar a carteira vacinal dela e aplicar as doses necessárias”, explica.

Caso o CRIE não seja de fácil acesso, o indivíduo pode fazer a solicitação da vacina no posto de saúde mais próximo a ele, que irá requisitar a dose necessária.

Apesar da importância desse serviço, uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos a pedido da farmacêutica Pfizer constatou que, de 324 médicos, 21% nunca ouviram falar sobre o CRIE. Além disso, dentre os que conhecem o serviço, 19% têm referências antigas, ainda da época da faculdade. Outro dado constatado no estudo é que 84% dos profissionais da saúde encaminham seus pacientes para a vacinação nos postos de saúde sem considerar as opções especiais ofertadas pelos CRIE.

Uma campanha contra a desinformação

Pensando nisso, a Pfizer, com apoio da SBIm, criou uma campanha chamada CRIE + proteção, que tem como o objetivo promover o papel dessas unidades de saúde e a importância da proteção para quem é mais vulnerável. “Uma boa parte das pessoas ainda desconhece que tem direito a esses cuidados, e precisa ser informada disso. Inclusive, os médicos precisam saber disso, para encaminharem seus pacientes da melhor forma”, afirma Isabella Ballalai, vice-presidente da SBIm.

Para divulgar essas informações, foi criada uma websérie com o Dr. Dráuzio Varella e três pacientes imunodeprimidos. Em três episódios, o espectador confere as recomendações de imunização e conhece um pouco mais sobre o funcionamento do CRIE. “A vacinação mudou, ao longo dos anos, a qualidade de vida das pessoas. A sociedade precisa se preocupar, principalmente, com aqueles que têm a saúde mais frágil e que precisam de acompanhamento”, declara Varella.

Segundo o médico, é preciso seguir as indicações de vacinação mesmo durante a pandemia de Covid-19. “Se você tem uma condição clínica que favorece as infecções, você precisa cuidar da sua saúde. Caso contrário, o risco será maior”, diz.

A websérie está sendo divulgada nas redes sociais do Dr. Dráuzio Varella. Confira o primeiro vídeo a seguir:

Fonte: Revista Galileu

Leia mais:

Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais – CRIE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui