As vacinas com vírus inativo podem ser administradas em pacientes com doença de Crohn e retocolite ulcerativa mesmo imunossuprimidos. Por outro lado, o uso de vacinas com vírus vivo deve ser evitado nos pacientes em uso de drogas imunossupressoras ou biológicas. Algumas vacinas têm o seu efeito prejudicado, quando administradas em paciente imunossuprimido. De uma forma geral, podemos esquematizar o uso de vacinas da seguinte forma:

  • Tríplice (tétano, diferia e coqueluche) – SIM, uma dose a cada 10 anos
  • HPV – SIM, em três doses em mulheres abaixo dos 26 anos
  • Influenza – SIM, anualmente
  • Pneumococo – SIM, em geral, em dose única a partir dos 65 anos ou a cada cinco anos em idade inferior
  • Hepatites A e B – SIM, considerar em todos os pacientes
  • Meningococo – SIM, se houver risco local de exposição
  • MMR – NÃO
  • Varicela – Zoster – NÃO
  • Febre amarela – NÃO
Vale lembrar que os pacientes precisam saber que todas as vacinas podem causar dor e inchaço no local da aplicação, sendo que algumas pessoas podem até manifestar febre e mal estar. Outras reações, sobretudo as alérgicas, são muito raras. As vacinas não aumentam as reações adversas dos imunossupressores e podem ser encontradas em clínicas particulares e na rede pública (SUS).

Fontes: 
Doença de Crohn – 50 FAq, de Sender j. Miszputen e Flavio Steinwurz

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui