Mudanças na alimentação podem ajudar a evitar uma crise renal

Só quem já teve cálculo no rins sabe o quão doloroso é passar por uma crise renal. A dor surge por conta da inflamação e obstrução do fluxo de urina nas vias urinárias e é tão intensa que o paciente precisa ser atendido com urgência nos prontos-socorros. Alguns hábitos alimentares, especialmente o de não ingerir água na quantidade adequada, são os grandes responsáveis pelo problema. Cuidados simples, no entanto, podem evitar pedra no rins.

  • Não consumir bebida alcoólica em excesso

Bebidas alcoólicas, consumidas em excesso, podem estar associadas às pedras nos rins, uma vez que elas diminuem o metabolismo do ácido úrico.

  • Aumentar a ingestão de água

Esse é o mais lógico e conhecido cuidado que ajuda a evitar pedra nos rins. Tomar bastante água ajuda a urinar mais e a diluir os cristais ou formações sólidas do trato urinário. O recomendável é tomar no mínimo 2 litros de água por dia.

  • Diminuir o consumo de alimentos processados e industrializados

Cerca 75% do sódio que as pessoas ingerem vem dos alimentos processados e industrializados. Alguns alimentos processados concentram tanto sódio que uma única porção tem quantidade superior à recomendada para ingestão diária que é de 5g de sal (equivalente a 2g de sódio).

Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) recomenda fica atento aos rótulos dos alimentos. Hoje em dia, os fabricantes são obrigados a informar.

Também recomenda-se atenção à quantidade de sal usado no preparo dos alimentos. Em dias mais frios, há uma tendência maior de consumo, por conta de refeições mais calóricas e condimentadas.  No lugar do sal, a SBN recomenda usar temperos que realçam o sabor da comida, como salsinha, alecrim, orégano, pimenta-do-reino, louro, hortelã, páprica e outros.

  • Diminuir o consumo de proteínas

A dietas hiperproteicas, com excesso de proteína animal, podem sobrecarregar os rins.  O risco é ainda maior em pessoas com doenças pré-existentes nos rins e ou histórico familiar de doença renal. A forma mais segura de adequar a quantidade de proteína às suas necessidade é consultando-se com um nutricionista.

Sinais de pedra nos rins

Os cálculos no rins são formados quando há uma concentração maior de minerais nos rins, que por alguma razão, não são eliminados pela urina. Aliás, é a urina que pode ser um forte indicativo do problema. Quando a coloração dela é muito amarelada e com sangue, é sinal de que a ingestão de líquidos está abaixo do recomendável.

Outro sinal de pedras nos rins é a cólica renal, uma dor forte e intensa nas região dos flancos (lateral lombar), tendo irradiação para a frente do corpo.

No entanto, vale dizer que em muitos casos, o cálculo renal pode ser assintomático. Exame de sangue de creatinina pode ajudar a verificar a saúde do rim.

Fatores de risco

Trabalhadores que ficam expostos a altas temperaturas e a situações que levam à desidratação (ex. cozinheiros, siderúrgicos) apresentam um menor volume urinário. Com isso, a urina se torna mais concentrada, o que leva a uma maior prevalência nesse grupo.

Algumas doenças também estão relacionadas com a formação de cálculos, são elas:  hiperparatiroidismo, hipertiroidismo, doença de Crohn e síndrome de má absorção. Pessoas que passam por cirurgia bariátrica também estão mais propensas a ter o problema durante o pós-operatório.

Fonte: Catraca Livre

Visite aqui a página no Facebook, o Instagram Farmale e o Canal Farmale!
Não esqueça de curtir a página para saber de todas as atualizações do blog!
Compartilhe essa informação com alguém que possa estar precisando dela!
O Farmale é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.
O Farmale é o blog oficial da ALEMDII – Associação do Leste Mineiro de Doenças Inflamatórias Intestinais
Siga nas redes sociais: