A fruta é rica em antioxidantes e possui mais vitamina C do que a laranja lima e o kiwi

morango é uma fruta de boa aceitação e vasta utilização pela população brasileira. Este fruto é da família das Rosaceae, originário da Europa e regiões de clima mais frio, e atualmente existem cerca de doze espécies. Possui sabor levemente ácido, aroma agradável e forte e sua coloração é vermelha com pontinhos pretos.

Benefícios do morango

É uma boa opção para sobremesas, ou como lanche da tarde, pois possui poucas calorias. Em 100 gramas de morango (aproximadamente 9 unidades), há 30 kcal. Mais de 90% do morango é composto por água; além disso, o fruto possui fibras, cálcio, magnésio, manganês, fósforo, ferro, potássio, cobre, zinco, B2, B6, traços de B1 e B3 e vitamina C, segundo a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO). Essa fruta também se apresenta como uma boa fonte de fitoquímicos (ácido elágico, antocianinas, quercetina e catequina). Devido aos seus compostos antioxidantes, há evidências de que o morango aumenta a resistência à infecções e previne o câncer.

A maior parte das fibras encontradas no morango são as solúveis, como a pectina. Esse tipo de fibra poderia auxiliar no controle dos níveis de colesterol. Porém, as sementes do morango contêm, em sua maior parte, fibras insolúveis, o tipo de fibras que auxiliam no quadro de constipação. No entanto, elas podem ser prejudiciais para pessoas com distúrbios intestinais como a diverticulose.

O teor de vitamina C do morango é importante, e muitas vezes o morango é citado na literatura como fonte desse nutriente, por possuir uma quantidade maior do que a apresentada por frutas como laranja lima e kiwi; apesar de possuir bem menos teor do que a acerola, por exemplo. Essa vitamina é importante para o sistema imune, regeneração muscular, dentes e ossos, além de formação de colágeno e atuação como um poderoso antioxidante, sendo usado para transformar os radicais livres de oxigênio em formas inertes. Por este motivo, o morango é considerado importante por proteger contra doenças inflamatórias, como a artrite reumatoide.

Os bioflavonóides, como a antocianina (de coloração avermelhada) e o ácido elágico, são substâncias que podem ajudar a evitar alguns tipos de câncer, principalmente do trato digestivo. Outros polifenóis presentes no morango (quercetina e catequina) estão relacionados à proteção contra doenças inflamatórias (osteoartite e aterosclerose, por exemplo). Esses compostos estão presentes no morango em quantidades significativas.

O morango é citado na literatura tendo papel anti-inflamatório, protegendo contra doenças crônicas como artrite reumatoide, além de efeito diurético leve, o que auxiliaria no quadro de retenção de líquidos. Também relacionado com a questão estética, promovendo saúde de pele, cabelos e unha, relativa à presença de compostos funcionais (fitoquímicos) e vitaminas e minerais, como vitamina C e zinco. Ainda, apresenta substâncias aromáticas que atuam em nível olfativo e do paladar, estimulando o apetite.

Como consumir o morango

Devido ao alto teor de vitamina C e componentes antioxidantes, uma dica importante para minimizar a perda dos nutrientes do morango é mantê-lo em geladeira até o momento do consumo, lavando o fruto imediatamente antes de consumir. Não é recomendado higienizar o morango antes do armazenamento, devido ao risco de proliferação de fungos pelo ambiente úmido e deterioração do alimento, o tornando impróprio para consumo mais rapidamente.

Ainda, outra dica é consumi-lo inteiro, ou cortá-lo imediatamente antes do consumo pois, quanto mais cortes fizer no fruto, maior o contato com o ar, o que favorece a perda de componentes antioxidantes. O aquecimento em altas temperaturas e duração elevada (para fins de cozimento) também favorece a perda desses componentes, além das vitaminas hidrossolúveis (como a vitamina C). Por outro lado, o processo de congelamento do morango favorece a perda de flavonoides, restando em torno de um terço destes compostos após o processo.

Outro cuidado que devemos ter no consumo do morango é o consumo concomitante de agrotóxicos, pois o morango é um dos alimentos que mais absorvem essas substâncias, encabeçando a lista dos alimentos mais contaminados. Para minimizar os efeitos, o importante é consumi-lo no período de safra (agosto, setembro e outubro); período em que há maior disponibilidade e quando encontramos o fruto a um preço menor. Outra opção é consumir morangos orgânicos, livres de agrotóxicos, porém mais dispendiosos.

A melhor maneira de consumir o morango é pela ingestão da fruta in natura, para preservar todas as suas propriedades. Porém, também é consumido em preparações como geleias, iogurtes, compotas, tortas e bolos e recheios de doces e biscoitos. É utilizado como um dos componentes dos sucos vermelhos, famosos pelo teor de antioxidantes e suas propriedades funcionais.

Contraindicações do morango

Por apresentar um elevado teor de salicilato natural, o fruto deve ser evitado por pessoas que possuem intolerância à aspirina. Devido a este componente, uma parcela pequena da população apresenta alergia ao morango. Em todo caso, bebês com história familiar de alergia a esse fruto devem ser apresentados ao alimento após completarem 2 anos de idade, sempre sob supervisão e avaliação de possíveis sintomas. O morango também possui teor de ácido oxálico, que pode ocasionar cálculos nos rins e bexiga em pessoas suscetíveis, além de reduzir a absorção de ferro e cálcio.

Quanto consumir de morango

Devido à sua composição, o consumo desse fruto é recomendado na quantidade de duas xícaras de morango/dia (em torno de 9 unidades). Estudos recentes sugerem que esta quantidade é capaz de regular os níveis de colesterol no sangue.

Fonte: Minha Vida

Leia mais: Morango melhora sintomas de inflamação no intestino

Visite aqui a página no Facebook, o Instagram Farmale e o Canal Farmale!
Não esqueça de curtir a página para saber de todas as atualizações do blog!
Compartilhe essa informação com alguém que possa estar precisando dela!
O Farmale é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.
O Farmale é o blog oficial da ALEMDII – Associação do Leste Mineiro de Doenças Inflamatórias Intestinais
Siga nas redes sociais: