As Doenças Inflamatórias Intestinais (doença de Crohn e retocolite ulcerativa) podem causar atraso no crescimento

Apesar das diferenças entre a doença de Crohn (DC) e a retocolite ulcerativa (RCU), ambas causam sintomas similares quando estão ativas, devido à inflamação crônica.

Os pacientes podem ter um ou mais sintomas:
  • Diarreia persistente
  • Cólicas e/ou dor abdominal
  • Urgência fecal
  • Sangramento intestinal
  • Febre
  • Perda de peso

Embora esses sintomas sejam os mesmos nas crianças e nos adultos, as crianças também podem apresentar um atraso no crescimento e na maturação sexual. De fato, um número significativo de pacientes pediátricos com Doença Inflamatória Intestinal (DII) é diagnosticado após o relato de atraso no crescimento. Isso afeta primeiramente os pacientes com DC, por causa dos efeitos diretos no crescimento ósseo e na redução da absorção dos nutrientes. Porém, pode ocorrer em pacientes pediátricos com RCU se a dor abdominal ou outros  sintomas resultarem na redução do apetite.

Como posso saber que o meu filho não está a crescendo corretamente?

Atraso no crescimento pode ocorrer em crianças, quando a doença tem início antes da puberdade. Sinais de atraso de crescimento são um peso e uma altura abaixo do valor esperado para a idade. A criança pode notar que é mais baixa que as outras crianças da sala de aula e os pais podem notar que o tamanho dos sapatos, roupas, permanece o mesmo durante um longo período de tempo.

O médico pode marcar o crescimento numa tabela de crescimento num intervalo de 6 a 12 meses. A tabela vai demonstrar a taxa de crescimento da criança, em comparação com a média para a sua idade. Esta técnica é simples e o pediatra pode demonstrar aos pais como podem monitorar o crescimento dos filhos, usando estas tabelas. Pais alertas são frequentemente os primeiros a notar estas alterações no desenvolvimento da criança. Outros sinais de atraso de crescimento são o atraso de desenvolvimento ósseo, que pode ser medido pela radiografia e o atraso na puberdade em relação ao habitual para a família.

Fique atento a duas coisas: crescimento e peso do seu filho

Como a perda de peso é um sintoma de crise de DII, qualquer redução deverá ser informada ao médico. Da mesma forma, o crescimento pode diminuir ou parar durante períodos de atividade da doença. Se achar que o crescimento do seu filho está consideravelmente mais lento (usa o mesmo tamanho de roupa por mais de um ano, parece menor que outras crianças da mesma idade), informe ao médico. A criança deve continuar indo ao pediatra, que vai ajudar a monitorar o desenvolvimento físico.

Quando ocorre comprometimento no crescimento, é normal que a criança se sinta triste e diferente também. Por isso, é muito importante que ela receba apoio dos pais, que devem incentivá-la a aderir ao tratamento, antes que a doença traga outras consequências. Além disso, precisam ajudá-la a entender que com o tratamento será mais fácil ter uma vida normal e saudável.

Fontes:

Minha Vida

Minha DII – DII na Infância

APDI – Guia dos Pais

ABCD – Guia de Cuidados na Infância RCU e DC

Visite aqui a página no Facebook e o Instagram Farmale!
Não esqueça de curtir a página para saber de todas as atualizações do blog!
Compartilhe essa informação com alguém que possa estar precisando dela!
O Farmale é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui