Descobri a retocolite ulcerativa em 2001, tinha eventuais sangramentos, por isso procurei ajuda médica. Na verdade nunca sofri com a doença, até que 8 anos depois, precisei ser internada com fortíssima dor abdominal. Foram quase 60 dias de hospital, seguidas de muitas complicações, UTI, pneumonia, infecção generalizada, perfuração e necrose do intestino grosso, cirurgia de urgência, e bolsa de Ileostomia. Após isso renasci, descobri outra forma de aproveitar e valorizar a vida. Mudei hábitos, me aceitei da forma como Deus me permitiu viver a vida. Tenho a possibilidade da reversão. Mas optei não fazer por temer qualidade de vida ruim. Levo uma vida totalmente normal, sem limitações por conta da ostomia. Trabalho, viajo, pratico atividade física, vou a piscina, praia! Mas tudo mudou ainda mais. Decidi que encararia uma gestação mesmo usando a bolsa. E deu tudo certo!!! Em 2013 ganhei a Manuela, e em 2015 dei a luz a Catarina! Minhas riquezas, e a certeza de que tudo valeu a pena!
 
Meu nome é Juliana Bimbatti, tenho 36 anos, moro em Osasco/SP, sou Dentista, tenho Retocolite Ulcerativa.
 
 
Conte sua história também! Expressar-se tranquiliza a dor.
Compartilhe a sua história aqui.  Para ler os depoimentos clique aqui.

 

 
Vi a Juliana cheia de vida compartilhando um depoimento em um grupo sobre ostomia e gravidez no Facebook e fiquei encantada com a maneira que ela encarou essa experiência que de tão boa ela repetiu! Hoje tem duas lindas meninas! Com otimismo e muito amor pela vida a gente consegue maravilhas! É sempre muito bom e importante lermos depoimentos assim, as vezes eles chegam em momentos tão ruins das nossas vidas que são capazes de dar aquele sopro de esperança que estava faltando. A luta com as doenças inflamatórias intestinais não é fácil, as vezes é uma guerra mesmo, mas precisamos preparar nossos pensamentos para encarar essa guerra com determinação! Com foco na remissão! E em dias melhores que certamente chegarão para todos.
 
Não percam a esperança, não desistam e vamos nos apoiar compartilhando nossa vivência com as DII para encorajar mais companheiros nessa luta.  
Siga nas redes sociais: