Nesta segunda-feira, 09/11, as empresas farmacêuticas Pfizer e BioNTech anunciaram que sua vacina contra a COVID-19, uma daquelas que estão sendo testadas já em fase 3, teve uma eficácia de 90% 

Albert Bourla, presidente e CEO da Pfizer, saudou o desenvolvimento como um “grande dia para a ciência e para a humanidade”.

Os resultados foram baseados na primeira análise de eficácia provisória, conduzida por um Comitê de Monitoramento de Dados externo e independente do estudo clínico de fase três, última etapa antes da aprovação da vacina (entenda as fases dos testes das vacinas contra Covid). Esse grupo de especialistas supervisiona os ensaios clínicos nos EUA para garantir a segurança dos participantes.

A vacina foi testada em 43,5 mil pessoas de seis países e, em setembro, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou que seus testes clínicos fossem ampliados no Brasil, de mil para dois mil testes em voluntários.

No Brasil, a vacina da Pfizer está sendo testada em 2 mil voluntários em São Paulo e na Bahia. Os testes da vacina da Pfizer estão sendo realizados nacionalmente pelo Cepic (Centro Paulista de Investigação Clínica), em São Paulo, e pela Instituição Obras Sociais Irmã Dulce, em Salvador.

Segundo as fabricantes, nenhum problema de segurança na vacina foi levantado até o momento.

A análise avaliou 94 infecções confirmadas por covid-19 entre os 43.538 participantes do estudo. A Pfizer e a BioNTech disseram que a divisão do caso entre indivíduos vacinados e aqueles que receberam um placebo indicava uma taxa de eficácia da vacina de mais de 90% sete dias após a segunda dose.

Segundo a farmacêutica americana, isso significa que a proteção contra covid-19 é alcançada 28 dias após a vacinação inicial, que consiste em um esquema de duas doses.

“O primeiro conjunto de resultados do nosso ensaio de Fase 3 da vacina COVID-19 fornece a evidência inicial da capacidade da nossa vacina para prevenir COVID-19”, disse Bourla em um comunicado.

“Estamos atingindo esse marco crítico em nosso programa de desenvolvimento de vacinas no momento em que o mundo mais precisa, com as taxas de infecção atingindo novos recordes, hospitais quase excedendo a capacidade e economias lutando para reabrir”, continuou o CEO da Pfizer na nota.

Como funciona a vacina contra a Covid-19 testada pela Pfizer – Live Farmale

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui