Muito mais que os sintomas intestinais

Essa semana no nosso Blog Oficial, o Farmale, compartilhamos alguns textos sobre Uveítes e observamos que muitos pacientes ainda desconhecem as Manifestações Extraintestinais, por acreditarmos na importância da informação correta para o empoderamento do paciente, vamos compartilhar mais informações sobre esse assunto com vocês durante a semana.

Estudos já demonstraram que há uma grande prevalência de manifestações clínicas extraintestinais (MEI) em indivíduos com doença de Crohn e retocolite ulcerativa, com percentual próximo a 50% dos pacientes acometidos por essas doenças infamatórias intestinais (DII) em todo o mundo.

Por serem enfermidades sistêmicas, essas manifestações podem atingir qualquer órgão, embora as mais frequentes estejam relacionadas a pele, articulações, olhos e fígado.

A professora associada do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal
de Minas Gerais (UFMG), Maria de Lourdes de Abreu Ferrari, coordenadora do Ambulatório de Intestino do Instituto Alfa de Gastroenterologia do Hospital das Clínicas da UFMG, membro fundador do Grupo de Estudos da Doença Infamatória Intestinal do Brasil (GEDIIB) e sócia-honorária da ABCD, conta em entrevista exclusiva para a revista ABCD em Foco, quais são as principais MEI, porque são importantes e como os médicos devem ficar atentos a esses sinais e sintomas para garantir uma melhor qualidade de vida para os pacientes.

Existe uma grande prevalência de manifestações extraintestinais em pacientes com DII?

As diferentes séries publicadas demonstram que a frequência de manifestações extraintestinais pode variar de 6% a 47%, dependendo da população estudada. No entanto, acredita-se que até 50% dos pacientes irão desenvolver pelo menos uma MEI em algum momento do curso evolutivo da sua DII.

Quais são as manifestações extraintestinais mais comuns na DII?

  • As MEI mais comuns são o acometimento articular, que envolve tanto articulações periféricas quanto axiais; lesões de pele, acometimento hepatobiliar e ocular.
  • As menos frequentes são representadas por lesões pulmonares, cardíacas, pancreáticas e do sistema vascular, dentre outras.

São condições que podem preceder, serem diagnosticadas simultaneamente às manifestações intestinais ou até mesmo surgirem após a ressecção de segmentos intestinais acometidos.

Estudo de coorte realizado na população suíça avaliou a cronologia de aparecimento das MEI

Em 25,8% dos pacientes, estas surgiram em média cinco meses (limites de 0-25 meses) antes do diagnóstico da DII e, em 74,2% dos casos, a primeira MEI manifestou-se em média 92 meses (limite de 29 a 183 meses) após o diagnóstico. O mesmo estudo demonstrou que as principais manifestações extraintestinais que precedem o diagnóstico, em ordem de frequência, são:

  • Uveíte
  • Psoríase
  • Artropatia axial
  • Estomatite
  • Colangite esclerosante primária
  • Artropatia periférica
  • Eritema nodoso

Gostaríamos de saber se você já sabia que as Doenças Inflamatórias Intestinais podem afetar outros órgãos além do intestino e se você já teve alguma MEI. Escreva nos comentários também as suas dúvidas. 

Fonte: ABCD em Foco

Leia mais:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui